Consórcio Intermunicipal Centro Sul | Notícias

NOTÍCIAS

Você está: Notícias > Detalhe

Estado ordena saída do Consórcio Centro-Sul de sua sede

Postado em 27 de Setembro de 2017

O Consórcio Intermunicipal Centro-Sul está mudando de endereço, mas esta não foi uma decisão dos prefeitos dos 13 municípios que o integram e sim, uma imposição do Governo do Estado. Nesta segunda-feira (25), encerrou um prazo dado pelo Estado para que o Consórcio saísse do prédio onde funcionava deste 2007, na avenida Presidente Vargas, Centro de Camaquã.

A prefeita de Cristal e Presidente do CI Centro Sul, Fábia Richter, conta que há cerca de três meses começou a ventilar a informação de que o Estado, que cedia o prédio, teria a intensão de colocar no espaço o Instituto Geral de Perícias (IGP). Fábia conversou com a equipe do Patrimônio do Estado que garantiu que o Consórcio não seria prejudicado e que haveria uma solução. Começaram então cobranças da equipe do IGP para a saída do Consórcio do local. “Tentamos resolver, até que nos chegou uma ordem de despejo”, lamenta a prefeita, que não foi recebida pelo Governo do Estado para dialogar. “Vários prefeitos tentaram de tudo, mas o Governo não nos recebeu”, reclama.

A mobília e todos os pertences do Consórcio foram retirados do local pela equipe do Consórcio e também funcionários e veículos da Prefeitura de Cristal. Parte foi levado para a nova sede, uma casa alugada na AV. ANTONIO DURO, 1232, cerca de uma quadra do INSS. Como o espaço é menor, alguns móveis serão depositados na Prefeitura de Cristal, até que os prefeitos decidam qual destino terão. Lamentando o custo que o Consórcio passará a ter com aluguel, Fábia Richter conta que servidores de Cristal estão ajudando na mudança para não haver ainda mais custoa Presidente está em São Paulo nesta segunda-feira (25), onde apresenta as potencialidades da região para investidores, com a possibilidade de fechar parcerias público-privadas para diferentes áreas, como saneamento, iluminação pública, distritos industriais. “Estamos lutando pela nossa região, lutando para reerguer o Consórcio e o Governo do Estado não teve o mínimo de consideração”, lamenta ela.